19 de fevereiro de 2012

Ah, tua boca...

Mesmo me parecendo um tanto quanto improvável, um tanto de descuido da minha parte,
Não consigo (e não quero) parar de pensar na boca tua.
Aquela, que não sei o gosto
Mas que, ao beijar minha face, mostrou-se tão deliciosa.
Poucos dias se passaram desde que te conheci.
Mas, pra quem ganhou tanta intimidade em tão pouco tempo,
Talvez esse desejo não seja tão louco.
Aguardo. Espero. Dou tempo ao tempo.
Que venha o que tiver que vir!

2 comentários:

  1. coisa gostosa essa expectativa de: será que vai rolar?
    Espero que sim e espero que seja bom!

    ResponderEliminar